sexta-feira, 1 de fevereiro de 2008

Mercado imobiliário prevê crescimento de 30%




Para o presidente do Secovi, um exemplo do aquecimento do setor é o número de imóveis à venda, que ele considera baixo diante da demanda. “Temos entre 2 mil e 3 mil imóveis para venda em Maringá. A procura é maior do que isso”, ressalta.
O economista Joílson Dias, professor doutor da Universidade Estadual de Maringá (UEM), acrescenta mais dois motivos para o aquecimento do mercado imobiliário: a previsão de uma boa safra e o crescimento no número de casamentos.
“Como os preços das commodities estão melhores, a tendência dos produtores é trazer uma parte do dinheiro para o imobilizado. E também há uma demanda crescente de imóveis pelos novos casais”, analisa.
Segundo o Departamento de Economia Rural da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Paraná, a previsão é que a safra de soja e milho renda R$ 455 milhões na região de Maringá este ano.
Já o número de casamentos na cidade, também citados por Dias, cresceu 24% entre os anos de 2000 e 2006. Em 2000 foram 1.777 casamentos. Em 2006 a cidade ganhou 2.216 novos casais. Os dados de 2007 ainda não foram totalizados pelo IBGE.(O Diário)

3 comentários:

Anônimo disse...

boa notícia, espero que todo esse concreto não subtitua o verde da cidade... pelo menos que os dois estejam em harmonia! Maringá não seria nada sem seu verde exuberante e maravilhoso!

Consegui um bom render do edifício tom jobim:

http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=577612

É do Edson Cardoso.. você pode postá-lo aqui...

Projeto Maringá disse...

O render do post -saindo do forno- já foi atualizado com o render de definição. Mas mesmo assim agradeço. Abraços amigão!

Célio disse...

Espero que o desenvolvimento desta maravilhosa cidade possa ser de forma sustentávelou seja, que não venha a ser no futuro uma selva de pedras igual a cidade de São Paulo.
A beleza de uma cidade não está ligada aos belos impreendimentos imobiliários, e sim num conjunto harmônico entre a arquitetura e a paisagem arbória.
Temos que pensar nos espaços permeáveis que deve existir dentro do paisagismo urbano.
Só quem vive em uma cidade igual a de São Paulo, poder imaginar o caos que é morar aqui.
Espero que as Secretarias do Verde e Meio Ambiente do Estado Paraná possa ficar atentos quanto as questões Ambientais das cidades, e garantir o bem estar e uma melhor qualidade de vida às populações.
Ats.; Célio Carlos